PARIS, LONDRES OU NOVA YORK...

 

Para onde você desejar ir, conte com a LUMMATUR Agência de viagens!

Escolha o destino e nossos consultores lhe apresentarão as melhores opções para a sua escolha.

Roteiros elaborados exclusivamente para atender as necessidades e expectativas de sua viagem.

Parceria com as maiores operadoras para garantir o melhor custo benefício para a sua viagem.

Conte com a assessoria de nossos consultores do planejamento à conclusão de sua viagem.

Há mais de uma década prestando serviços com excelência para transformar suas expectativas em inesquecíveis experiências de viagens.

Evite perca de tempo com pesquisas. Conte com nossos colaboradores desde o planejamento à execução de sua viagem.

Visto é um documento exigido por determinados países para conceder autorização de entrada em suas fronteiras a cidadãos de outras nacionalidades. Em geral, os vistos são carimbados ou anexados ao passaporte e determinam o período de tempo da visita e sua finalidade. Existem diferentes tipos, dentre os quais os mais recorrentes são: visto de turista; visto de estudante; visto de negócios; visto de trânsito; visto diplomático; visto de jornalista, e até visto de noivos.

Se você pretende viajar para o exterior, procure informar-se se o país de destino exige visto de entrada para os brasileiros e siga nossas dicas. Para se ter uma ideia, 104 países exigem visto de brasileiros.

Não é o caso dos membros da União Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia e Suécia), os quais exigem apenas a apresentação do passaporte.

Já nos países da América do Sul, os brasileiros podem viajar apenas com a carteira de identidade. A exceção é a Guiana Francesa, departamento ultramarino da França que ainda exige visto de brasileiros.

Nota: para conseguir o visto ou a entrada em alguns países, é necessário apresentar o certificado internacional de vacinação contra febre amarela. A vacina, com validade de dez anos, é fornecida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária e pode ser tomada gratuitamente nos postos de saúde ou nos principais aeroportos do país, dez dias antes da viagem, no mínimo.

O passaporte emitido pela Polícia Federal é o principal documento na hora de viajar para o exterior. Ele identifica o cidadão brasileiro em outros países e permite a entrada e a saída pelos portos, aeroportos e vias de acesso internacional. Veja como providenciá-lo no site da Polícia Federal.

Anote aí:

A maioria dos países exige que o passaporte tenha no mínimo 6 meses de validade. Por isso, é aconselhável renovar o documento antes de ele expirar.

Os Estados Unidos exigem visto de brasileiros para a entrada em território norte-americano. Há diferentes categorias de visto, a depender do objetivo da viagem, inclusive para quem vai apenas fazer uma escala em aeroportos locais.

O Consulado Americano mudou o processo para obtenção do visto em abril de 2012: desde então os Centros de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV) passaram a ser a principal referência para a obtenção do documento de viagem.

Portanto, é para o CASV que quem pretende ingressar em território norte-americano deve encaminhar toda a documentação exigida para dar início ao processo de solicitação do visto.

Veja, passo a passo, como tirar o visto para os Estados Unidos.

Terminal lotado, voo cancelado, com atraso ou overbooking. Fique atento aos seus direitos em caso de imprevistos no aeroporto, dentro e fora do Brasil.

A princípio, é importante estar ciente de que ao comprar uma passagem você estabelece com a empresa aérea um contrato de transporte. Portanto, caso se sentir prejudicado ou tiver seus direitos desrespeitados, dirija-se primeiro à companhia aérea contratada para reivindicar seus direitos como consumidor.

É possível, também, registrar reclamação contra a empresa aérea na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). No entanto, para buscar indenização não adianta recorrer à Anac, que não faz parte da relação de consumo firmada entre o passageiro e a empresa aérea.

Portanto, para reivindicar indenizações por danos morais e/ou materiais, você deve consultar os órgãos de defesa do consumidor ou dirigir-se ao Poder Judiciário.

Para exigir essas indenizações, é importante guardar o comprovante do cartão de embarque e os comprovantes dos gastos eventualmente realizados (alimentação, transporte, hospedagem e comunicação) ou os documentos relacionados à atividade profissional que seria cumprida no destino.

Anote aí:

Os direitos à assistência material, reacomodação e reembolso são devidos mesmo nos casos em que o atraso tenha sido causado por condições meteorológicas ou operacionais adversas.

Consulte também o Novo Guia do Passageiro da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Antes de viajar, é bom conhecer as formas de ligar para o Brasil.

Procure informar-se quais tecnologias estão disponíveis no país de destino. Há diversas ferramentas que podem ser usadas na comunicação: celulares, smartphones, tablets, computadores portáteis, internet e os bons e velhos telefones públicos estão à disposição para você entrar em contato longe de casa.

Em alguns países, tanto o serviço de telefone público como chamadas a cobrar entraram em desuso, com ampla adoção de celulares e outros dispositivos móveis. Porém, eles ainda existem e podem ser a solução mais econômica para o viajante.

Crianças desacompanhadas, gestantes, idosos com mais de 60 anos, lactantes, pessoas com crianças de colo, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiência são considerados passageiros que podem solicitar assistência especial. Eles têm direito a certas prerrogativas tanto em aeroportos como em terminais rodoviários.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) estabeleceu uma série de procedimentos para assegurar condições de acessibilidade às pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida que utilizam o transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros.

As empresas devem providenciar os recursos materiais e o pessoal qualificado para atender os passageiros e divulgar, em local de fácil visualização, o direito a atendimento prioritário de pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, inclusive com deficiência visual e auditiva. Também estão obrigadas a avisar, com dispositivo sonoro, visual ou tátil, os pontos de parada entre a origem e o destino das viagens de forma a garantir as condições de acessibilidade.

Visto é um documento exigido por determinados países para conceder autorização de entrada em suas fronteiras a cidadãos de outras nacionalidades. Em geral, os vistos são carimbados ou anexados ao passaporte e determinam o período de tempo da visita e sua finalidade. Existem diferentes tipos, dentre os quais os mais recorrentes são: visto de turista; visto de estudante; visto de negócios; visto de trânsito; visto diplomático; visto de jornalista, e até visto de noivos.

Se você pretende viajar para o exterior, procure informar-se se o país de destino exige visto de entrada para os brasileiros e siga nossas dicas. Para se ter uma ideia, 104 países exigem visto de brasileiros.

Não é o caso dos membros da União Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia e Suécia), os quais exigem apenas a apresentação do passaporte.

Já nos países da América do Sul, os brasileiros podem viajar apenas com a carteira de identidade. A exceção é a Guiana Francesa, departamento ultramarino da França que ainda exige visto de brasileiros.

Nota: para conseguir o visto ou a entrada em alguns países, é necessário apresentar o certificado internacional de vacinação contra febre amarela. A vacina, com validade de dez anos, é fornecida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária e pode ser tomada gratuitamente nos postos de saúde ou nos principais aeroportos do país, dez dias antes da viagem, no mínimo.

Há muitas regras para viajar com crianças pelo Brasil e para o exterior. É importante informar-se sobre elas e segui-las à risca.

O planejamento deve prever desde a documentação obrigatória até os cuidados durante o transporte, assim como a hospedagem e a alimentação.

Saiba quais são as medidas a serem tomadas e veja dicas para fazer uma boa viagem com os pequenos.

Passagens aéreas compradas, reserva no hotel confirmada e roteiro de passeios escolhido. Tudo pronto para viajar, certo? Pois todo cuidado é pouco na hora de passar pela imigração nos aeroportos.

Confira as dicas de como transpor sem sobressaltos os postos de controle e saiba como adequar o comportamento à circusntância em que você se encontra. Veja ainda como proceder caso seja barrado, saiba quais seus direitos e a quem recorrer.

Outlets, free shops, eletrônicos por uma mixaria... Um mundo de coisas a preços de ocasião e você tendo de se controlar?

Pois é: o melhor que você faz é pôr na ponta do lápis o que já gastou e não deixar a tentação virar dor de cabeça.

É importante saber qual o limite permitido de gastos isentos de impostos para as compras feitas no exterior e nos free shops dos aeroportos, assim como a taxa que incide sobre movimentações efetuadas com o cartão de crédito.

Tire essas e outras dúvidas e confira nossas dicas antes de embarcar.

 (18) 3622-0128

 contato@lummatur.com.br

Rua Conselheiro Oscar Rodrigues Alves, 685, Vila Mendonça - Araçatuba, SP